Dia dos professores

15 de outubro, dia dos professores

Eu proponho, hoje, no dia dos professores, um momento de reflexão sobre a educação neste país. Todo mundo já ouviu (e gosta de repetir) aquela história de que no Japão só o professor não se curva ao imperador... A gente gosta de ver Merli e Rita (séries com educadores na Netflix), lá na Europa, cheios de autonomia, respeitados em suas ações nas escolas… É comum reverenciar os antigos professores como influentes na nossa formação, responsáveis por nosso sucesso… Mas, na prática, como anda a nossa relação com os educadores por aqui? O quanto lutamos pela educação e estamos dispostos a sacrifícios em nome dela? Qual o valor que damos, como integrantes desta sociedade, a essa profissão que sabemos ser tão fundamental?

Então vamos lá: A violência contra professores cresce no Brasil nesta década, inclusive por parte dos pais que legitimam as agressões de seus filhos (e eu não estou falando dos filhos de traficantes, tá?). A perseguição aos professores é responsável pelo maior índice da nossa história de afastamento de educadores por ansiedade. Para completar, o salário de um professor no Brasil é um dos mais baixos do mundo, inferiores inclusive aos pagos por nossos vizinhos. E a autonomia em sala de aula? Bem… grupos financeiros estão comprando escolas e se esforçando para transformar pedagogia em esteiras de produção (lembra do Charles Chaplin?).

Qual o resultado disso? O Brasil tem hoje um dos piores índices de alienação entre jovens no mundo. Assistimos impotentes ao crescimento do negacionismo. Temos um percentual altíssimo de analfabetos funcionais e estamos em péssima colocação no exame PISA, que mede internacionalmente a capacidade de compreensão de texto e raciocínio lógico. Somos uma nação na contramão da grande (r)evolução educacional que avança no mundo (e que mudou a Finlândia, o Catar, a China… países bem diferentes, para se ver que a medida independe de política e ideologia).

No entanto, apesar dos pesares (e de “você”, para que amanhã seja outro dia), rendo aqui minha homenagem a todos os guerreiros que escolheram ser educadores num país em que se nega a educação. Parabéns por todo empenho. Parabéns pela luta, pela resistência. Obrigado pelas gambiarras necessárias para se driblar um sistema falido. Obrigado pelos sacrifícios que fazem para sobreviver ao desmonte.

E a você, leitor... Desculpa aí a mensagem dolorida num dia de festa… Mas é que eu cansei de jogar confetes, agora eu só jogo sementes!


Marcelo Brandão Mattos


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

“Eu tô com medo. Fazia tempo que eu não tinha esse sentimento. Porque eu sinto que o Brasil nessa eleição corre o risco de perder toda a estabilidade que já foi conquistada.” são palavras de Regina Du

5 de setembro de 2020 OS OLHOS CONDENAM, MAS A LUTA ABSOLVE Quem quiser explicar a um amigo o que é “racismo estrutural” (pense naquele amigo teimoso, que acha que o discurso da luta racial no Brasil

Para, Robinho! Até um atacante veloz tem que saber a hora de parar, ser menos impulsivo com as palavras e, claro, com o corpo. Ouça o que as pessoas têm a dizer, sem antes se achar perseguido. Sabe aq